segunda-feira, 24 de março de 2014

Foi no dia 9 de Fevereiro, que se realizou um evento, que toda a familia foi convidada e que encheu meu coração de muita alegria.

DEDICAÇÃO DO MEU SOLINHO  LUCAS A DEUS


Pela primeira vez assisti a uma cerimónia de entrega e agradecimento a Deus pelo nascimento de um bébé, e ainda mais especial por ser o meu netinho mais novinho.
Foi emocionante ,pelos canticos pelas palavras pela simbologia daquele momento, houve lágrimas de emoção até de pessoas que eu não esperava.

Principalmente quando a mãe cantou e tocou uma balada dedicada ao seu filho, que foi arrepiante de tão emotiva.


O Luquinhas portou-se lindamente, no momento das assinaturas dos padrinhos e pais , tendo se seguido de um almoço entre familiares e amigos, terminando com o delicioso e glamoroso bolo oferecido pela prima Ana, e como por coicidencia o papá fez anos nessa mesma semana também juntamente o pai e a mãe, apagaram as velas dos dois bolos porque o homenageado já dormia de cansaço, no seu soninho  de anjinho.

Aqui deixo para um dia o Lucas recordar, e saber que todos estiveram presentes e amaram a sua festa.




Que sejas feliz meu amor seguindo sempre os caminhos de Deus, e que Ele esteja a teu lado para te proteger
Avó 
Eu sinto-me assim junto dos meus netinhos, como fossem dois passarinhos que me alegram, que me cantam ao ouvido, eles são colo, são doce com cheiro a mel, são anjos com asas invisiveis que  me serenam e me beijam com toques suaves e macios.
Este poema descrevem em parte a minha Estrelinha e o meu Solinho mas....também algumas amigas.



Tem gente que tem cheiro de passarinho quando canta.
De sol quando acorda.
De flor quando ri.
Ao lado delas, a gente se sente no balanço de uma rede que dança gostoso 
numa tarde grande, sem relógio e sem agenda.
Ao lado delas, a gente se sente comendo pipoca na praça.
Lambuzando o queixo de sorvete.
Melando os dedos com algodão doce da cor mais doce que tem pra escolher.
O tempo é outro.
E a vida fica com a cara que ela tem de verdade, mas que a gente desaprende de ver.
Tem gente que tem cheiro de colo de Deus.
De banho de mar quando a água é quente e o céu é azul.
Ao lado delas, a gente sabe que os anjos existem e que alguns são invisíveis.

Ao lado delas, a gente se sente chegando em casa e trocando o salto pelo chinelo.
Sonhando a maior tolice do mundo com o gozo de quem não liga pra isso.
Ao lado delas, pode ser abril, mas parece manhã de Natal 
do tempo em que a gente acordava e encontrava o presente do Papai Noel.
Tem gente que tem cheiro das estrelas que Deus acendeu no céu 
e daquelas que conseguimos acender na Terra.

Ao lado delas, a gente não acha que o amor é possível, a gente tem certeza.
Ao lado delas, a gente se sente visitando um lugar feito de alegria.
Recebendo um buquê de carinhos.
Abraçando um filhote de urso panda.
Tocando com os olhos os olhos da paz.
Ao lado delas, saboreamos a delícia do toque suave
 que sua presença sopra no nosso coração.

Tem gente que tem cheiro de cafuné sem pressa.
Do brinquedo que a gente não largava.
Do acalanto que o silêncio canta.
De passeio no jardim.
Ao lado delas, a gente percebe que a sensualidade 
é um perfume que vem de dentro e que a atração 
ue realmente nos move não passa só pelo corpo.
Corre em outras veias.
Pulsa em outro lugar.
Ao lado delas, a gente lembra que no instante em que rimos 
Deus está conosco, juntinho ao nosso lado.
E a gente ri grande que nem menino arteiro

Carlos Drummond de Andrade



quarta-feira, 12 de fevereiro de 2014




Quanto tempo passa sem vir contar os feitos dos meus pequeninos, eles são vividos com muito amor, mas depois a vovó tem um pouco de preguiça para vir escrever, mas não pode ser porque a cabeça da avó já se vai esquecendo de muita coisa e há aqueles momentos que eu quero aqui registados para um dia mais tarde poderem recordar.



Ora vamos lá , talvez desde a ultima vez que aqui escrevi o evento principal foi o Natal.




É verdade muita decoração,


 o jantar foi em casa da vovó Ana como sempre o tradicional bacalhau com batatas mas além disso a avó fez rissois pasteis de bacalhau a bola tarte de coco, velhoses à moda da bivó Rosa, e filhoses à moda da bivó Ilda, também uma maneira de as homenagear. Como todos os anos as primeiras filhoses a fritar coloco um pires com 4 filhoses junto à foto da bivó Ilda para ela aprovar se estão bem feitas, porque as aprendi a fazer no ultimo ano da vida da minha mãe, quanto às velhoses levo a casa da minha sogra para ela as provar porque felizmente ainda é viva.



 Claro que nestes dias para mim é muita comoção porque há duas presenças que nunca mais vão estar à mesa e que para mim jamais são Natais como os de outrora,mas faço o possivel para as crianças e filhos não perceberem.




Foi o primeiro ano que o Lucas viveu esta quadra, e foi muito importante ter os dois netos cá em casa assim como a minha irmã cunhada, e os meus filhos.



A avó está sempre a tentar que todos os anos se faça qualquer coisa de diferente , costuma ser o Pai Natal vestido a rigor, que traz os presentes mas este ano não havia fato, e pensei logo substituir por algo que os mais pequenitos compreendessem o significado da festa que ali se estava a passar, e nada melhor que uma peça de teatro muito pequenina sobre o nascimento de Jesus e explicar que aquela festa era em homenagem a Ele.
Assim foi,  com umas echarpes, à volta da cabeça fiz as roupas umas fitas à volta da testa a segurar as vestes e em segundos criamos uma peça de teatro, o Tiago que à força queria ser o menino Jesus lá o convenci a ser o S.  José fiz a lápis um bigode e uma barbicha e um cajado e ficou todo contente, a Nossa Senhora era a minha Estrelinha Lara que ficou linda e , e o menino Jesus era para ser o Lucas mas na hora adormeceu e teve de ser substituido pelo boneco chorão.
Muito rápidamente ensinei duas frases para dizerem, e a avó  era o  anjo, para os ir orientando.




Correu muito bem eles fizeram o teatro com muita concentração sem errarem em nada, muitas fotos e videos que aqui vou colocar, muita simplicidade, mas foi assim que evocamos o nome de Jesus na nossa festa, e representado pelas minhas crianças que para mim foi mais emocionante que tudo o resto.


É pá!!!!! já meia noite, lá entretivemos os miudos e toca a por os sapatinhos, caso contrario não há prendas, lá andaram os adultos numa roda viva, a por os presentes e onde está o sapato da Lara e o do Tiago já troquei os presentes, então e o sapato do Lucas que está a dormir, não pode ser sem sapatinho é que não depois o Pai Natal não sabe onde deixar e pé ante pé lá vai a avó Ana descalçar o meu solinho e tirar a pantufinha, que bom!!!!não acordei o meu menino.

TRIMMMMMM....TRIMMMM....TRIMMMMM, queres ver que é o Pai Natal a tocar à porta, vieram a correr mas não estava ninguém, pois, é que ele tinha ainda tantos presentes para entregar que deixou tudo no quarto, e teve de ir embora mas deixou muitos beijinhos e quer que os meninos para o ano continuem a portar-se bem, fechou-se a porta e foi correria para o quarto a ver os presentes primeiro surpresa depois RRRRRRRR,rasga papel e mais papel e OHHHHH! era mesmo isto que eu queria, OLHAAAA!! ele adivinhou que foi isto que estava naquela loja e eu disse à mãe que ia pedir ao Pai Natal.....



.no meio da alegria e da excitação eu só lembrei os meninos que nada tinham e que nem o calor humano do conforto de uma familia eles possuiam.




Mas quando a euforia passou disse à minha estrelinha, vês agora tens tantos brinquedos novos, já podes dar os que tens a mais em casa, e que até já nem brincas.Ela respondeu, sim avó já tenho um saco cheio que escolhi mais a mãe, para ir entregar para os meninos pobres, e na semana seguinte lá foi fazer a sua entrega de Natal, e depois de vos contar tudo o que foi o Natal esta resposta da minha neta foi o mais importante para mim, e desta festividade toda que nada lhe faltou ela tirou esta lição de vida , Partilhar pelos que mais precisam", nada foi em vão, e em tudo temos de ensinar os nossos filhos e netos que na vida deles o mais importante é o amor ao próximo.



Obrigada por terem vindo à minha janelinha , ler um pouco de mim e dos meus netos
Vovó Estrelinha e Solinho.

terça-feira, 3 de dezembro de 2013

PARABÉNS ESTRELINHA LINDA!!!!

Hoje a avó Nana está inchada de tão orgulhosa da sua menina.


A mamã foi à escola para saber dos progressos da Lara, e correu ao telefone para contar à avó pois ela sabe que eu gosto de estar a par das suas vivencias e de acompanhar a sua educação.


Pois tenho a contar-vos que a minha doce menina está muito bem integrada , é muito responsavel muito ciosa do seu material, bem comportada, sempre com os TPC feitos já lê muitas palavras,muito meiga com a professora e com os colegas, todos gostam muito dela e muito boa aluna.



Só podia ficar feliz e contente, quando elogiam os nossos meninos é como musica para os nossos ouvidos.






Coisas antigas que nos deixam tantas recordações .
Alguns vestidinhos da mamã da Estrelinha,pensava eu"Vou guardar pelo menos dois ou tres porque se tiver uma netinha pode ser que queira vestir" nada disso.....tudo mudou, passaram de moda, e até eu mudei no que respeita à moda, claro que não os ia vestir à minha neta .Eram lindos na época a filhota ficava um miminho dentro deles, muito feminina e graciosa, mas o tempo passou as meninas passaram a usar mais calças de ganga calções e desapareceu as rendinhas os veludos os folhinhos, enfim mudam-se os tempos muda-se as roupas.

Este foi oferecido pela tia Néné, no primeiro aniversário,com bordado inglês no peitilho manguinha de balão e favinhos na cintura,uma autentica boneca que ficava a Sara dentro dele.



Mais um modelo com intermeios de renda, feito por uma modista que costurava todas as roupinhas dela, este vermelho ficava um mimo no seu tom de pele bronzeada.


Aqui está o vestidinho que estreou na sua festinha do 2º aniversário, em veludo azul marinho com renda no peitilho e nos punhos e arrematava com um cinto a marcar a cintura, parecia uma princesinha com sapatinho preto de verniz e meia branca de renda.



E para terminar o desfile de modelos do ano de 1975/76, temos a não menos importante bata da classe infantil, que usava no colégio com três aninhos , embora um bocadinho amarrotada mas quando passadinha a ferro com os folhinho todo armado, de golinha branca e tecido azul escuro às bolinhas brancas, ainda hoje  se mantem este modelo em muitas escolinhas, e sempre gracioso de ver nos nossos bébés.


O passado faz parte da nossa história e eu sempre gostei de guardar pequenas recordações, esta é uma das que me faz lembrar os tempos de mãe de correrias para levá-los à escola, de preocupações com o crescimento deles e da sua educação,mas sempre havia tempo para o bem estar dos filhos, nem que para isso não sobrasse tempo para mim.

Vó Nana

quarta-feira, 20 de novembro de 2013

Como cresceram os pézinhos da minha Estrelinha


Estes eram os chinelinhos da Lara que sempre que vinha para casa da avó Nana, a primeira coisa que fazia era descalçar-se e pedir os seus chinelinhos que ela tanto gostava, mas há dias veio passar a tarde a casa dos avós, e quis como sempre descalçar-se, eu fui logo buscar os chinelinhos cor de rosa da princesa, já não eram usados desde o inicio do Verão e para espanto nosso OHHHHHHH!!!! já não serviam e até lhe saiam dos pezitos.

Bem temos de nos convencer que as crianças crescem muito depressa e a acompanhar esse crescimento os seus pézinhos também desenvolvem.Vamos lá comprar outros tão bonitos ou ainda mais que os velhinhos......


Antes destes, ainda mais novinha eram estes coelhinhos que também deixaram logo de servir, e eu guardei-os sempre na esperança de vir mais um netinho e como a esperança é a ultima a morrer, cá está o Lucas que um dia os irá calçar na casa da vó Nana


Vóvó Nana

terça-feira, 19 de novembro de 2013

Festa do 1º mesinho do solinho.

Os papás fizeram um lanchinho para avós e tios, recordarem que já passou um mês com muitas emoções medos ensinamentos e muito amor.

Os papás do solinho tem vivido estes dias com muita felicidade pelo seu pequenote Lucas, ele já observa com toda a atenção e conhece perfeitamente o rosto do papá, o cheirinho da mamã, leva-o logo a abrir a boquita de lado porque já sabe que aquele cheirinho representa o ser mais carinhoso da sua vida, e que lhe trás a papinha para o aconchegar até voltar ao seu soninho.

Estou muito orgulhosa destes meus meninos que tão depressa aprenderam a saber lidar com este pequenino docinho, que caiu nos seus braços sem qualquer experiencia .

Mas além de ter um bolinho com velinha, feito pela tia babada Sara, também teve sessão de fotos para mais tarde recordar.









A prima Lara não esqueceu o livro de histórias de pano para contar ao Luquinhas e com grande surpresa minha conseguiu ler a história do Tedy até ao fim , pena o Priminho ainda não compreender mas um dia vai ver as fotos e vai saber que a 1ª história foi contada pela prima Estrelinha.

Cantamos os parabéns depois dos pais apagarem a velinha , concerteza antes formularam o desejo para o seu menino ser muito feliz e regressamos a casa, embora o meu coração de avó viesse partido, porque as cólicas do meu menino voltaram no fim da tarde e foi triste vê-lo chorar tanto e com tanta lágrima, apesar do esforço da mãe com massagens, para aliviar a barriguita.

Bébé tem normalmente este problema, que se torna muito dificil para ele porque está em sofrimento, e para os pais e familia que pouco podem fazer, mas esperamos que mais um ou dois meses passe.





vovó Nana